Digite aqui o que você está procurando...

Observatório do Cinema

canal MPF

Canal / Nova Campinas

O SHOW DO COMÉRCIO

Extra Online - TV e Lazer

TV iG: Vídeos de notícias, futebol, lutas, clipes, moda e trailers

28 de jan de 2014

Carnaval / 2014 - Marchinhas de carnaval ironizam cenário político do Brasil

Músicas abordam temas como black bloc, ocupações, maconha e até o sumiço das vigas do viaduto do Rio de Janeiro
Por Isadora Otoni
Em 2014, não vai faltar crítica política no carnaval. As Jornadas de Junho resgataram a tradição das marchinhas debochando e fazendo humor com o cenário político brasileiro, inspirando músicos e blocos de rua. As canções abordam temas como black bloc, ocupações, maconha, caso Perrella e até o sumiço das vigas do viaduto do Rio de Janeiro. Por conta da criatividade e originalidade, algumas das marchas se tornaram finalistas de concursos.
Marcha da Maconha
A música, que concorre ao 9º Concurso Nacional de Marchinhas Carnavalescas, é composta por Henrique Cazes e interpretada por Jota Canalha. O nome da composição é uma referência à Marcha da Maconha, organizada todo ano em prol da legalização da erva.
“Plantando em casa não se gasta mais dinheiro
Mas tem um ano que eu não caibo no chuveiro
Com três tapinhas nós fazemos um carnaval
Não tem lei seca que segure o pessoal”
Baile do Pó Royal
O caso do helicóptero do deputado Gustavo Perrella, que foi encontrado com 445 quilos de pasta-base de cocaína, não passou imune às marchinhas. O Baile do Pó Royal, que concorre ao prêmio Mestre Jonas 2014, traz uma crítica bem humorada ao caso.
“O pó rela no pé
O pé rela no pó
Esse pó é de quem eu tô pensando?
Ah é sim, ah é sim”
Cadê a viga?
Cássio Tucunduva e sua turma se inspiraram no sumiço das vigas do Elevado da Perimetral, do Rio de Janeiro, para compor uma marchinha. O suposto furto foi tão absurdo que, não bastasse ter rendido uma música, também a levou às finalistas do 9º Concurso Nacional de Marchinhas Carnavalescas, da Fundição Progresso.
“Senhor prefeito
Não é intriga
Aonde foi que enfiaram aquela viga?”
Ocupa geral
O samba irônico Ocupa geral concorre à marchinha oficial do bloco Imprensa que eu Gamo. O bloco foi fundado por jornalistas em 1995 e sai às ruas todo ano no Rio de Janeiro.
“A colombina ainda está traumatizada
Pensaram que ela era black bloc
Sambo para fugir das bombas lacrimosas
No batalhão de choque”
Menina black bloc
A música também é finalista do Concurso Nacional de Marchinhas Carnavalescas e foi escrita por Oswaldo Pereira. O compositor admitiu que sua inspiração foi Emma, a garota black bloc que foi capa da Veja e depois se manifestou contra a revista para o Mídia Ninja.
“Menina black bloc
Black bloc, black bloc
Eu vou botar na rua
Um batalhão de choque”
Marchinhas de carnaval ironizam cenário político do Brasil - Revista Fórum | Revista Fórum

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores